6.4.20

QUARENTENA - TEMPO DE ESPERA








Copacabana explodia em alegria, abraços, cores e sons no 31 de dezembro de  2019 - terça feira -Ano de OGUM - o Deus da guerra  - quando a China informou a OMS Organização Mundial da Saúde  o surgimento de uma série de casos de pneumonia de origem desconhecida na cidade de Wuhan, de 11 milhões de habitantes.Em poucos dias, o contágio se alastrou, atravessou fronteiras.
As primeiras análises sequenciais do vírus realizadas por equipes chinesas apontam que esses casos de pneumonia se deviam a um novo coronavírus. O COVID 19.
Com a contaminação atingindo outros países a uma velocidade alucinante - milhares de mortes por dia, contagiados aumentando, a OMS declara Pandemia. Fronteiras são paulatinamente fechadas, voos entre países suspensos, caos no sistema de saúde de muitos países como Itália e Espanha.






Começava o primeiro pesadelo do terceiro milênio, o segundo encontrar uma vacina que inocule o ser humano, o terceiro conseguir convencer governantes inescrupulosos, os sedentos de ganancia fácil a fechar seus negócios e optar pelo isolamento social.  Salvar vidas.




Estados Unidos e Brasil  precedidos pela Inglaterra se recusavam a trocar o desenvolvimento econômico por vidas humanas. 
 FICAR EM CASA, DEIXAR O VÍRUS PASSAR  é a nova  ordem mundial.
 




Sistemas de saúde precisam se organizar para impedir que a mortalidade alcance números imensuráveis. 



A principal forma de contágio do novo coronavírus é o contato com a pessoa infectada, que transmite o vírus por meio de tosse e espirros. Sua propagação se dá ao contato com uma superfície ou objeto contaminado.  Olhos, nariz ou bocas são portas fáceis de entrada. A vigilância  a cada gesto é fundamental. A higiene o cerne  principal. Como lograr atingir números reduzidos de contagiados necessitados de cuidados médicos: uma única saída - a Quarentena. Tempo de espera de sobrevivência.  Somente o homem pode salvar a humanidade. Somente a consciência pode diminuir o contágio, só o amor poderá salvar grande parte da população.  Só a solidariedade pode deter a pandemia.  



Hoje, no mundo temos: 1.324.907 (confirmados) 275.832 (curados) 73.703 (mortos) num breve espaço de tempo. 


A Pandemia desnudou a miséria dos grandes potencias, principalmente do império que destrói civilizações inteiras no afã de se perpetuar no pódio dos vencedores. No Brasil, mais de cem milhões de brasileiros vivem sem saneamento básico, e mais de onze milhões sem cadastro no  sistema nacional de saúde e financeiro. Onze milhões de clandestinos dentro do seu próprio país.



Não fosse  a nobreza  de milhares de médicos, enfermeiras, profissionais da saúde, não fossem a maioria da nossa diversidade cultural, que luta em todos os frentes desta guerra viral, que seria dos que habitam o planeta terra.


O pior está por vir vamos respeitar a nós e o nosso próximo. Vamos de quarentena, possibilitar  que viver seja possível porque você pode ajudar.  Não podemos mudar a direção do vento, mas  sim ajustar as velas.