Pular para o conteúdo principal

MENINOS EU VI









O verde amazônico deslumbra, ofusca, sugere, acalma, fortalece, e reafirma a vida, sob um céu com entretons de azuis, coalhado de pequenas nuvens brincalhonas; carneirinhos, bolinhas, pequenos elefantes, gotas de chuva, pedaços de algodão, dançam  numa viagem prestidigitadora entre o  alegórico  e a fantasia.
Estamos em Boa Vista, aquela cidade que traz no seu encanto muitas magias.
A tríplice fronteira entre o Brasil, Guyana, e Venezuela extasia os visitantes com sua imponente formação rochosa – o Monte Roraima,  um dos lugares mais antigos do planeta,segundo a lenda apinhando de diamantes. Cada ser vivente tem direito ao seu, sabemos por aqui.
O Rio Branco caudaloso, que não é de Janeiro, mas autenticamente brasileiro, formado pela confluência dos rios Tacutu e Uraricoera corre suavemente onde habita  Iara – a mãe grande das águas doces abençoado pelos  índios Macuxis que enfeitiçam estas paragens.


A cidade  projetada em forma de leque inspirada em Paris, totalmente ao norte da linha do equador, guarda a sete chaves geograficamente, o coração da América.
Tem açaí, cupuaçu, pupunha, mangas, em cada esquina, espécies raras, já não encontradas no sul maravilha. 
Tem gente feliz. Muita gente feliz.  Carregadinho  de gente feliz.
Tem riso, riso e riso. Incluindo o meu  embora forasteiro. Um tremendo riso. 
A felicidade aqui chega nas ondas do vento que balança, balança os cabelos, os galhos das árvores, as saias, os coqueiros, mexe e remexe as águas dos igarapés.
A esperança que abusa  de ser esperança foi construída em  alguns séculos  aprimorada carinhosamente nos últimos quatro anos.

Pode ser este o motivo maior onde bate mais forte todos os desejos. Prospera, rica, fértil é hoje o orgulho do País.
Após quatro anos de uma administração eficiente e bem sucedida, consolidada pelo apoio incondicional da população que saiu às ruas espontaneamente  fortalecendo cada voto - Teresa Surita – mulher, guerreira, arrojada, determinada, moderna, voltada e centrada no hoje – agora - concretizou projetos que permitirão  a construção de um futuro seguro para o povo Boavistense. Será empossada como a 1a. Prefeita com o índice mais alto de aprovação popular do continente Brasileiro.  Parabéns!


..Um velho timbira, coberto de glória, guardou a memória do moço guerreiro, do velho Tupi.
E, a noite, na tabas, se alguém duvidava do que ele contava,

dizia prudente - Meninos, eu vi.  Gonçalves Dias.

Comentários

Posts Mais Lidos

1996 - Direitos Humanos violados no Brasil e no Mundo

Ao longo das últimas décadas, o Brasil assinou uma série de convenções, tratados e declarações que visam a garantir os direitos humanos fundamentais em nosso país. Apesar disso, diariamente, pessoas sofrem por terem seus direitos violados. São humilhadas, maltratadas e, muitas vezes, assassinadas impunemente. Tais fatos repercutem mundialmente, despertando o interesse de diversas organizações não-governamentais, que se preocupam em garantir os direitos acima mencionados, como a Human Rights Watch, que, anualmente, publica uma reportagem sobre a situação dos direitos humanos em diversos países do mundo, e cujos relatos sobre o Brasil, nos anos de 1996 e 1997, serviram de base para o relato exposto a seguir.

Relatório em 1996:

O ano de 1996, no Brasil, foi marcado por massacres, violência rural e urbana, más condições penitenciárias e impunidade gritante.

No dia 19 de abril, em Eldorado dos Carajás, Pará, a Polícia Militar, com ordem para evitar que cerca de duas mil famílias ocupassem …

José Ibrahim- um herói do movimento operário

José Ibrahim- um herói do movimento operário

1968 marcou o século XX como o das revoltas - estudantis operárias, feministas, dos negros, ambientalistas, homossexuais. Todos os protestos sociais e mobilização política que agitaram o mundo como a dos estudantes na França, a Primavera de Praga, o massacre dos estudantes na México, a guerra no Vietnã se completam com as movimentos operários e estudantil no nosso pais. Vivíamos os anos de chumbo, o Brasil também precisava de sua primavera.
Em Contagem, região industrial da grande Belo Horizonte, Minas Gerais, abriu caminho as grandes greves metalúrgicas coroada pela de 1968 em Osasco - região industrial de São Paulo onde brasileiros de fibra e consciência, miscigenam suas origens e raízes abalizadas pela particularidade brasileira, em plena luta contra a ditadura militar.
Jose Ibrahim, 21 anos, eleito para a direção Sindical, jovem, líder por excelência, simplesmente parou todas as fábricas de Osasco, na época pólo central dos movimentos de …

Inez Etienne - única sobrevivente da casa da morte em Petrópolis

Única sobrevivente da Casa da Morte, centro de tortura do regime militar em Petrópolis. Responsável depois pela localização da casa e do médico-torturador Amílcar Lobo. Autora do único registro sobre o paradeiro de Carlos Alberto Soares de Freitas, o Beto, que comandou Dilma Rousseff nos tempos da VAR-Palmares. Última presa política a ser libertada no Brasil. Aos 69 anos, Inês Etienne Romeu tem muita história para contar. Mas ainda não pode. Vítima há oito anos de um misterioso acidente doméstico, que a deixou com graves limitações neurológicas, ela luta para recuperar a fala. Cinco meses depois de uma cirurgia com Paulo Niemeyer, a voz saiu firme:

DIREITOS HUMANOS: Ministra acredita na aprovação da Comissão da Verdade no primeiro semestre deste ano

- Vou tomar banho e esperar a doutora Virgínia.

Era a primeira frase completa depois de tanto tempo. Foi dita na manhã de quarta-feira, em Niterói, no apartamento onde Inês trava a mais recente batalha de sua vida. Doutora Virgínia é a fi…