Skip to main content

MUITO PRAZER - 2o. capitulo


MUITO PRAZER!  2º capitulo

Así mismo recuerdo cuánto nos ayudó em aquella declaración de identidade com Brasil que hicimos em 1971,cantando la música de sus trovadores...} me recuerda Silvio Rodriguez em la portada de uno de mis libros. Ali, em uma das salas do ICAIC – Instituto cubano de cinema – entre guitarras, risos, acordes, fonética difícil entre o B e o V – complicado falar você argumentava Pablito repetida centenas de vezes, Entrelaçada entre canções de Chico, Gil, Vinicius conheci Viglietti. Anos difíceis. Anos de guerra, torturas, llantos, muchos sueños, parcas alegrias. Mas, aquele  grupo de jovens saídos das trincheiras da Revolução Cubana formavam um elo de amor através de suas canções unindo o mundo. Atada a Sol maior, Lá menor , misturada nos acordes 3\4 passaram 40 anos. Jamais nos perdemos, nem nos sonhos, nem na guerra, muito menos na solidariedade e união. Poucos ficaram para trás. Alguns viraram saudade – como Nicola – o amor maior de todos os amores, outros se deixaram seduzir pelo falso brilhante.
Daniel Viglietti fazia parte deste exército. O compositor uruguaio militante,  colocou a luta popular nos seus versos, musicalizou fazendo-a ressoar por toda América Latina. Preso é extraditado depois de uma campanha pela sua libertação desde o exterior encabeçada por Jean Paul Sastre, Francois Mitterrand, Julio Cortázar, e nosso arquiteto Oscar Niemeyer.
Faz pouco nos encontramos na mesma Habana guerreira, explodindo em sonoros cantares, onde velhas trovas, Nova trova – já entrada nos 60 - dividem palcos, violões, versos, harmonias, rimas com os novos meninos num eterno renovar de mudanças para um mundo de luta chegar a tão ansiada paz para a humanidade.
Do show pela libertação dos 5 heróis cubanos presos nos EUA, a peña de Euardo Sosa, Viglietti , quase um guri cantando e cantando num desalambrar de esperança. O coração bate forte, as lágrimas deslizam pelas faces numa onda alegre- triste batendo fundo para lembrar ao homem de hoje, que para chegar é preciso muita garra, muita segurança. Eles continuam meus meninos, eu sua Miriam – a brasileira.
Daniel Viglietti cantou aqui na Escola Nacional de Música no ato em Homenagem aos alunos do Colégio Pedro II, convidado por mim e Emilio Mira y Lopez.  Bem no coração do Rio de Janeiro, 40 anos depois de nosso 1º. Encontro. Feliz é definição pequena para tanta alegria. Sei que estarei a seu lado reafirmando que sim podemos. Que hoje, somos muitos e mais conscientes. Que seguimos com o mesmo encanto e canto espalhando versos de amor versos e comprometidos com a as novas formas de lutas e de conquistas.
Sempre será benvindo companheiro!

Comments

Popular posts from this blog

SOU FELIZ, SOU MUITO FELIZ - OBRIGADA EDUARDO GUIMARÃES

Edu, sempre amou Fernando Pessoa.  Seu livro de cabeceira preferido. Nunca dorme sem um pequeno verso. Amo você garoto!.


O guardador de rebanhos Eu nunca guardei rebanhos,
Mas é como se os guardasse.
Minha alma é como um pastor,
Conhece o vento e o sol
E anda pela mão das Estações
A seguir e a olhar.
Toda a paz da Natureza sem gente
Vem sentar-se a meu lado.
Mas eu fico triste como um pôr de sol
Para a nossa imaginação,
Quando esfria no fundo da planície
E se sente a noite entrada
Como uma borboleta pela janela.
Mas a minha tristeza é sossego
Porque é natural e justa
E é o que deve estar na alma
Quando já pensa que existe
E as mãos colhem flores sem ela dar por isso.
Como um ruído de chocalhos
Para além da curva da estrada,
Os meus pensamentos são contentes.
Só tenho pena de saber que eles são contentes,
Porque, se o não soubesse,
Em vez de serem contentes e tristes,
Seriam alegres e contentes.
Pensar incomoda como andar à chuva
Quando o vento cresce e parece que chove mais.
Não tenh…

Do capim gordura a brachiaria II

Cheguei uma hora antes. Coisas de engenharia de transito. Sai na hora viável atrasa, se antes corre o risco de adiantar tanto como uma hora de antecedência, por exemplo. Assim foi. Evaldo sai da sala e depara comigo adiantadissssssssima. Um abraço feliz, perguntas sobre a família, esposa. O corriqueiro agradável.
- Aqui de volta. Faz um ano de toda aquela loucura. Hora de novos exames - brinquei
- Certo – argumentou tranqüilo. O calor está insuportável. Não chove, a plantação padece. O capim fica todo calcinado, o gado sofre.
- No interior também a seca está castigando dessa maneira?
- E, como? Sorte minha ter um caseiro boa gente, preocupado cuidadoso, que aprendeu a importância da terra, da preservação da água, do cuidado com o solo. Da necessidade de alternar o capim para fertilizar a terra. Errei algumas vezes, mas apostei na solidariedade.Mulher e sete filhos.
Tomei como meta três situações: preservar um pedaço da mata atlântica, dar educação aos sete filhos do casal, todos hoje…

A UM ESTRANHO - WALT WHITMAN

A um Estranho Estranho que passa! você não sabe com quanta saudade eu lhe olho,
Você deve ser aquele a quem procuro, ou aquela a quem procuro, (isso me vem, como em um sonho,)
Vivi com certeza uma vida alegre com você em algum lugar,
Tudo é relembrado neste relance, fluído, afeiçoado, casto, maduro,
Você cresceu comigo, foi um menino comigo, ou uma menina comigo,
Eu comi com você e dormi com você – seu corpo se tornou não apenas seu, nem deixou o meu corpo somente meu,
Você me deu o prazer de seus olhos, rosto, carne, enquanto passamos – você tomou de minha barba, peito, mãos, em retorno,
Eu não devo falar com você – devo pensar em você quando sentar-me sozinho, ou acordar sozinho à noite,
Eu devo esperar – não duvido que lhe reencontrarei,
Eu devo garantir que não irei lhe perder.