Pular para o conteúdo principal

A las madres de todos los siglos


Desperté molesta, un cólico fuera de hora, extraño, pequeño cólico fuera de hora. Despacito salgo de la cama, bien despacito. Voy al baño. Unas gotas de sangre mancha mis piernas.
Fausto! Fausto! Alguna cosa errada conmigo. Estoy sangrando.
En instantes, estaba en el coche en dirección a la maternidad. Marinero, de primera viaje suele ser así.
- Nada. Vuelve y venga cuando las contracciones estén a cada media hora, dijo el doctor. Por ahora. Dilatación zero.
- Qué locura es esta? Cuando los dolores tuvieren a cada media hora? Oiste esto? Pero, por donde va salir este bebe? Es demasiado grande . Sou Chica. Solamente tengo barriga. Por donde anda Dr. Botelho? Èl me dijo, que seguro seria uma cesariana, por las dimensões del bebe. Nunca seria parto normal.
- Está para la hacienda. Vuelve domingo y hoy es sábado. Hoy casa mi hermano. Vamos a su boda. Pues este bebe no va nascer tan temprano. No viste lo que dijo el médico de guardia?
- No puedo creer.
- Vá a la peluquería. Arréglate linda. Ponte el vestido charmoso. Vamos nos divertir.
A las 7pm regresé a la maternidad. Llena de dolor fui para el pré –parto.
Entre cólicos e cólicos, suave, fuertes, desperté motivada por la voz que me decía: abre los ojos. Todo ya pasó.
Medio dormida pregunté: es Marcello? Adormecí en un sueno profundo hasta la mañana siguiente.
Antes que hiciera un año llegó Eduardo, siete meses, mil cuidados, sustos e sustos.
Mágicamente sucedieron las primeras palabras, mãee! Paloma! Fiebres, resfriados, los famosos dolores abdominales que dilaceran nuestros sentimientos. Primeros pasos, o murito - manitos ansiosas de felicidad, primero día de aula, primeros besos en la namoradinha de la escuela, primeras desilusiones, primeras vitorias.
En una espiral, en todos os rincones del mundo millones de madres repiten el mismo ciclo de la vida. Dulces, tiernas, duras, exigentes, dedicadas, despreocupadas como sean – portales de entrada de los seres humanos, que salen en busca de la realización de sus sueños.
Pero, ese día en especial quiero dedicarle a la madre cubana, que transpuso el umbral de todas las dificultades, firmes luchan contra el bloqueo, batallan en el día a día por la libertad de los cinco hermanos presos injustamente en los EUA, sin doblegarse.
A todos ellas mi amor sincero, compañero, revolucionario dispuesta siempre a estar juntas en la consolidación de esta hermosa revolución.

Comentários

Simone disse…
Lindo demais!!!Bjs
Impressionante como visualizo cada uma de suas palavras, Marília. Parabéns pelo Día de las madres. Vivi esse dia em Cuba com minha mãe, imersas em montanhas de flores, elas estavam em todas as ruas, em todas as esquinas, impressionante.
Acho que em Cuba presenteia-se com flores mais do que em qualquer outro lugar!
beijos
mariela disse…
Muy lindo, gracias querida.

Posts Mais Lidos

1996 - Direitos Humanos violados no Brasil e no Mundo

Ao longo das últimas décadas, o Brasil assinou uma série de convenções, tratados e declarações que visam a garantir os direitos humanos fundamentais em nosso país. Apesar disso, diariamente, pessoas sofrem por terem seus direitos violados. São humilhadas, maltratadas e, muitas vezes, assassinadas impunemente. Tais fatos repercutem mundialmente, despertando o interesse de diversas organizações não-governamentais, que se preocupam em garantir os direitos acima mencionados, como a Human Rights Watch, que, anualmente, publica uma reportagem sobre a situação dos direitos humanos em diversos países do mundo, e cujos relatos sobre o Brasil, nos anos de 1996 e 1997, serviram de base para o relato exposto a seguir.

Relatório em 1996:

O ano de 1996, no Brasil, foi marcado por massacres, violência rural e urbana, más condições penitenciárias e impunidade gritante.

No dia 19 de abril, em Eldorado dos Carajás, Pará, a Polícia Militar, com ordem para evitar que cerca de duas mil famílias ocupassem …

José Ibrahim- um herói do movimento operário

José Ibrahim- um herói do movimento operário

1968 marcou o século XX como o das revoltas - estudantis operárias, feministas, dos negros, ambientalistas, homossexuais. Todos os protestos sociais e mobilização política que agitaram o mundo como a dos estudantes na França, a Primavera de Praga, o massacre dos estudantes na México, a guerra no Vietnã se completam com as movimentos operários e estudantil no nosso pais. Vivíamos os anos de chumbo, o Brasil também precisava de sua primavera.
Em Contagem, região industrial da grande Belo Horizonte, Minas Gerais, abriu caminho as grandes greves metalúrgicas coroada pela de 1968 em Osasco - região industrial de São Paulo onde brasileiros de fibra e consciência, miscigenam suas origens e raízes abalizadas pela particularidade brasileira, em plena luta contra a ditadura militar.
Jose Ibrahim, 21 anos, eleito para a direção Sindical, jovem, líder por excelência, simplesmente parou todas as fábricas de Osasco, na época pólo central dos movimentos de …

Inez Etienne - única sobrevivente da casa da morte em Petrópolis

Única sobrevivente da Casa da Morte, centro de tortura do regime militar em Petrópolis. Responsável depois pela localização da casa e do médico-torturador Amílcar Lobo. Autora do único registro sobre o paradeiro de Carlos Alberto Soares de Freitas, o Beto, que comandou Dilma Rousseff nos tempos da VAR-Palmares. Última presa política a ser libertada no Brasil. Aos 69 anos, Inês Etienne Romeu tem muita história para contar. Mas ainda não pode. Vítima há oito anos de um misterioso acidente doméstico, que a deixou com graves limitações neurológicas, ela luta para recuperar a fala. Cinco meses depois de uma cirurgia com Paulo Niemeyer, a voz saiu firme:

DIREITOS HUMANOS: Ministra acredita na aprovação da Comissão da Verdade no primeiro semestre deste ano

- Vou tomar banho e esperar a doutora Virgínia.

Era a primeira frase completa depois de tanto tempo. Foi dita na manhã de quarta-feira, em Niterói, no apartamento onde Inês trava a mais recente batalha de sua vida. Doutora Virgínia é a fi…