Pular para o conteúdo principal

Casa de Bonecas

O Globo publicou hoje a Barbie Dilma – homenagem de Marcus Baby - a Presidente do Brasil.
Simpático seu trabalho, minucioso, cuidadoso, mas fora dos parâmetros da própria história. A famosa Barbie, de origem Alemanha, recriada no final dos anos 50 nos EUA, com a finalidade de restabelecer o velho conceito sobre a mulher. Elegante, nada econômica, vazia, totalmente desprovida de conceitos sociais, preocupada em valorizar a estética. Criou um padrao de beleza. Loura, magra, simbolizando a garota bonita, inteligente, companheira, meiga.
Contrarestando o esteriotipo da menina bem comportada, Betty Friedan, Angela Davis propunham uma nova sociedade sem racismo, sem preconceitos, onde as diferencas convivenssem em harmonia.
John Lennon, Yoko Ono, Mick Jagger cantaram Angela Davies, sintonizando seus versos, dando voz aos movimentos sociais que espalhavam por todos os paises, principalmente na America latina.
Neste contexto historico entra Dilma Housseff, jovem exuberante, moderna, revolucionaria, guerreira, militante de esquerda, como tantas outras em outros paises como: Ivette Jimenez na Argentina, Hilda Gadea no Peru, Dora Barrancos no Uruguai, Stella Caloni na Argentina, Haydée Tamara Bunke Bider - a Tania, Guerrilheira, que morreu na Bolivia lutando junto ao Che, Beatriz Allende no Chile, Soledad Barrett Viedma no Uruguai, assassinada no Brasil, Celia Sanchez em cubana, aliadas a uma multidao de companheiras brasileiras, como Damaris Lucena, Dulce Maia, Maria Auxiliadora,Maria do Carmo Brito,Jesse Jane, essa companheira que lhes fala, e tantas outras que deram a vida pela libertade, as torturadas, as presas, as que tiveram que deixar o Brasil perseguidas pela ditadura militar, romperando com o jeito Barbie de ser.
Cruzaramos todas as fronteiras: da dor, do amor, da solidariedade, da entrega e ainda hoje continuamos na frente,no campo de batalha.
Nao cabe as mulheres: avo, mae, companheira, militante, guerreira - o padrao de beleza e comportamento estabelecido para confundir, mesmo na inconsciencia da homenagem, a tantas outras que ainda nao desvenderam a sutileza das mensagens que apontam para outra direcao.
O caminho do futuro e apontado por estas estrelas que brilham com luz propria no firmamento sejam orientadas pelo Cruzeiro do Sul, ou pela Osa maior.
Marilia Guimaraes

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

MUITO PRAZER!

Verde oliva, verde petróleo, verde limão capim da estrada, verde cor de esperanças, verde eternamente verde. Entre o verde exuberante da Mata Atlântica recortada pelas águas barrentas que dividem a cidade de Minas do Estado do Rio Janeiro, Além Paraíba aldeia dos índios Puris, dos tropeirosvindo da corte atraídos pelos minerais preciosos despontou com sua Igrejinha, sua ferrovia e suas escolas – elementos indispensáveis para crescer e multiplicar. A religião, o poder e o conhecimento. Como Macondo repete as mesmas e infindáveis estórias dentro da história. Rodeada de estrelas, longe do cheiro do mar, escrevi meu primeiro poema, esquecido, deixado de lado em algum rincão do passado usurpado da mãos na sala de aula, onde a ordem era apenas ouvir ou responder se perguntado. Numa rara noite de saída, permanentemente proibidas pude ir a um baile. Puro luxo para quem vivia na biblioteca mergulhada entre Balzac, Tolstoi, Machado de Assis, uma que outra Iracema, recanto preferido e amado sepa…

MUITO PRAZER!

Verde oliva, verde petróleo, verde limão capim da estrada, verde cor de esperanças, verde eternamente verde. Entre o verde exuberante da Mata Atlântica recortada pelas águas barrentas que dividem a cidade de Minas do Estado do Rio Janeiro, Além Paraíba aldeia dos índios Puris, dos tropeirosvindo da corte atraídos pelos minerais preciosos despontou com sua Igrejinha, sua ferrovia e suas escolas – elementos indispensáveis para crescer e multiplicar. A religião, o poder e o conhecimento. Como Macondo repete as mesmas e infindáveis estórias dentro da história. Rodeada de estrelas, longe do cheiro do mar, escrevi meu primeiro poema, esquecido, deixado de lado em algum rincão do passado usurpado da mãos na sala de aula, onde a ordem era apenas ouvir ou responder se perguntado. Numa rara noite de saída, permanentemente proibidas pude ir a um baile. Puro luxo para quem vivia na biblioteca mergulhada entre Balzac, Tolstoi, Machado de Assis, uma que outra Iracema, recanto preferido e amado sep…

Do capim gordura a brachiaria II

Cheguei uma hora antes. Coisas de engenharia de transito. Sai na hora viável atrasa, se antes corre o risco de adiantar tanto como uma hora de antecedência, por exemplo. Assim foi. Evaldo sai da sala e depara comigo adiantadissssssssima. Um abraço feliz, perguntas sobre a família, esposa. O corriqueiro agradável.
- Aqui de volta. Faz um ano de toda aquela loucura. Hora de novos exames - brinquei
- Certo – argumentou tranqüilo. O calor está insuportável. Não chove, a plantação padece. O capim fica todo calcinado, o gado sofre.
- No interior também a seca está castigando dessa maneira?
- E, como? Sorte minha ter um caseiro boa gente, preocupado cuidadoso, que aprendeu a importância da terra, da preservação da água, do cuidado com o solo. Da necessidade de alternar o capim para fertilizar a terra. Errei algumas vezes, mas apostei na solidariedade.Mulher e sete filhos.
Tomei como meta três situações: preservar um pedaço da mata atlântica, dar educação aos sete filhos do casal, todos hoje…