Pular para o conteúdo principal

Postagens

Mostrando postagens de Março, 2011

31 de março de 1964 - Começa os anos de chumbo

Alunos entravam gesticulando sussurrando baixinho. Mauro me esperava com noticias do PCB de que o congresso andava em polvorosa, os bancos em reuniões discutindo saídas emergenciais, até negociações se cogitava entre os 2º e 3º. Exército. Sai direto para a Saúde. O destino das cartilhas nos preocupava. Todos os acontecimentos indicavam em direção a um golpe da direita. A resistência dos Marinheiros no dia 25 por José Anselmo dos Santos – Cabo Anselmo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em Benfica, desobedecendo a ordem do Ministro da Marinha Silvio Mota tinha um destino certo. Os golpistas tinham um aliado perfeito para desmantelar no momento oportuno se houvesse resistência. Muitas águas rolaram antes de entendermos os rumos que tomam o poder de uma nação. Forjado diante de tantos olhos o traidor cabo Anselmo. O clima de crise política e as tensões sociais aumentaram durante todo o dia. Tropas de Minas Gerais e São Paulo aparecem na ruas. O golpe militar se consolida. Sob o

31 de março de 1964 - Começa os anos de chumbo

Alunos entravam gesticulando sussurrando baixinho. Mauro me esperava com noticias do PCB de que o congresso andava em polvorosa, os bancos em reuniões discutindo saídas emergenciais, até negociações se cogitava entre os 2º e 3º. Exército. Sai direto para a Saúde. O destino das cartilhas nos preocupava. Todos os acontecimentos indicavam em direção a um golpe da direita. A resistência dos Marinheiros no dia 25 por José Anselmo dos Santos – Cabo Anselmo na sede do Sindicato dos Metalúrgicos em Benfica, desobedecendo a ordem do Ministro da Marinha Silvio Mota tinha um destino certo. Os golpistas tinham um aliado perfeito para desmantelar no momento oportuno se houvesse resistência. Muitas águas rolaram antes de entendermos os rumos que tomam o poder de uma nação. Forjado diante de tantos olhos o traidor cabo Anselmo. O clima de crise política e as tensões sociais aumentaram durante todo o dia. Tropas de Minas Gerais e São Paulo aparecem na ruas. O golpe militar se consolida. Sob

João Goulart – o Jango – 30/03/1964

Na Gráfica – o ruído do papel penetrava alma a dentro numa sinfonia delirante o ruído das máquinas. Folha a folha a cartilha cuidadosamente começava a ser montada. É mecânico. Matemático. A seqüência lógica deste quebra cabeça das inserções de páginas é fundamental. Se alguma escapole, corre outro caminho, gera todo um conflito de lógica, informação e desentendimentos. Primorosa esta etapa da produção. Olhava enlevada embalada pelo som e agilidade com que rodava de mão em mão até se transformar num livro fininho minúsculo quase, ilustrado cheio de ensinamentos sobre reforma agrária. Entregar no prazo é fundamental. Todos os jornais davam ênfase as reformas pretendidas por Jango. Limitar remessas de capital para o exterior, nacionalizar empresas de comunicação, rever as concessões para exploração de minérios geravam reações. As retaliações estrangeiras aportavam velozes exigindo das empresas privadas norte-americanas corte do crédito para o Brasil, e interrupção da negociação da dív

João Goulart – o Jango – 30/03/1964

Na Gráfica – o ruído do papel penetrava alma a dentro numa sinfonia delirante o ruído das máquinas. Folha a folha a cartilha cuidadosamente começava a ser montada. É mecânico. Matemático. A seqüência lógica deste quebra cabeça das inserções de páginas é fundamental. Se alguma escapole, corre outro caminho, gera todo um conflito de lógica, informação e desentendimentos. Primorosa esta etapa da produção. Olhava enlevada embalada pelo som e agilidade com que rodava de mão em mão até se transformar num livro fininho minúsculo quase, ilustrado cheio de ensinamentos sobre reforma agrária. Entregar no prazo é fundamental. Todos os jornais davam ênfase as reformas pretendidas por Jango. Limitar remessas de capital para o exterior, nacionalizar empresas de comunicação, rever as concessões para exploração de minérios geravam reações. As retaliações estrangeiras aportavam velozes exigindo das empresas privadas norte-americanas corte do crédito para o Brasil, e interrupção da negociação da

João Goulart - o Jango - março de 1964

No Bairro da Saúde o barulho incessante das offsets enchiam as ruas de uma musicalidade bem diferente das charretes do tempo do império. Coloríamos um Brasil campeão do mundo, um cinema novo, o Bim- Bom da Bossa Nova – intercalada com o canto falado de João Gilberto, a nova capital exuberante traçada por Niemeyer surpreendendo o mundo e um outro João - o Goulart – Presidente do pais defendendo na Central do Brasil, naquele março de 1964 as reformas de base. Desacelerar a inflação e acelerar o crescimento, plano audacioso para os setores sindicais e organizações nacionalistas. O comício das reformas gerou um verdadeiro embate político e ideológico no país. Tempo de democracia autêntica no Brasil. Os Jovens universitários e secundaristas punham o movimento estudantil no auge do reconhecimento: forte, ativo, bem articulado e com grande força na opinião pública. A CGT – Comando Geral dos trabalhadores valorizava a classe operária reivindicando direitos trabalhistas, crescendo em indep

João Goulart - o Jango - março de 1964

No Bairro da Saúde o barulho incessante das offsets enchiam as ruas de uma musicalidade bem diferente das charretes do tempo do império. Coloríamos um Brasil campeão do mundo, um cinema novo, o Bim- Bom da Bossa Nova – intercalada com o canto falado de João Gilberto, a nova capital exuberante traçada por Niemeyer surpreendendo o mundo e um outro João - o Goulart – Presidente do pais defendendo na Central do Brasil, naquele março de 1964 as reformas de base. Desacelerar a inflação e acelerar o crescimento, plano audacioso para os setores sindicais e organizações nacionalistas. O comício das reformas gerou um verdadeiro embate político e ideológico no país. Tempo de democracia autêntica no Brasil. Os Jovens universitários e secundaristas punham o movimento estudantil no auge do reconhecimento: forte, ativo, bem articulado e com grande força na opinião pública. A CGT – Comando Geral dos trabalhadores valorizava a classe operária reivindicando direitos trabalhistas, crescendo em indep

REENCONTROS III

Embora haja tantos desencontros nesta vida reencontros são magníficos. Dilma, a nossa Presidente, ontem encontrou, reencontrou cineastas de todas as idades, felicidades, realizadoras, premiadas, reconhecidas. Amo muitas delas. Fazem parte do meu mundo. Todas lutadoras neste complexo cenário cultural. Guerreiras. Desconheço as que não sejam. Cada qual com suas escolhas de Lúcia Murat, Maria Mathilde Mourão, Marina Person, , Patrícia Pilar, Lucélia Santos, Rosane Svartman, Sandra Werneck, Suzana Amaral, a Tizuka Yamasaki de Gaijin – história primorosa da migração Japonesa, a Tetê de Moraes – garimpeira de encontros inesquecíveis como de Arturo Sandoval com João Donato, numa Havana deslumbrantemente especial. Belos dias onde piano e sax traduzem nossa América. Contudo, hoje é domingo de almoço em família, de rever fotos, dar boas risadas, a cervejinha gelada, do pollo a cacerola. Domingo é dia de praia. Sol acariciando a pele, numa cor morena, paixão de quem vive e cheira mar. Domi

REENCONTROS III

Embora haja tantos desencontros nesta vida reencontros são magníficos. Dilma, a nossa Presidente, ontem encontrou, reencontrou cineastas de todas as idades, felicidades, realizadoras, premiadas, reconhecidas. Amo muitas delas. Fazem parte do meu mundo. Todas lutadoras neste complexo cenário cultural. Guerreiras. Desconheço as que não sejam. Cada qual com suas escolhas de Lúcia Murat, Maria Mathilde Mourão, Marina Person, , Patrícia Pilar, Lucélia Santos, Rosane Svartman, Sandra Werneck, Suzana Amaral, a Tizuka Yamasaki de Gaijin – história primorosa da migração Japonesa, a Tetê de Moraes – garimpeira de encontros inesquecíveis como de Arturo Sandoval com João Donato, numa Havana deslumbrantemente especial. Belos dias onde piano e sax traduzem nossa América. Contudo, hoje é domingo de almoço em família, de rever fotos, dar boas risadas, a cervejinha gelada, do pollo a cacerola. Domingo é dia de praia. Sol acariciando a pele, numa cor morena, paixão de quem vive e cheira mar. Dom

Lembranças

 

Lembranças

 

Parque Guinle

 

Parque Guinle

 

Quarta-feira 23/03/2011 - Japão, Obama e a esperança de "echar o mundo andar"

Tudo hoje será de corre corre. As noticias não são nada felizes. Relutei em escrever sobre este assunto. Impossível o silencio. Acesso o Globo. Um dos reatores começou a soltar fumaça escura, o resfriamento é difícil, a situação no Japão preocupante. Estamos torcendo por eles. Estamos torcendo pela humanidade, penso. O poder que delegamos aos governantes virou contra todos nós. É hora de repensar a nossa irresponsabilidade, e dar um basta para “esta Humanidad ëchar andar” como dizia Che Guevara. “ Os comentários fervem entre a população sobre a visita de Mr. Obama. O carismático Presidente dos Estados Unidos - premio Nobel da Paz – desde o nosso pais ordena o ataque a Líbia, como se estive jogando bola no cenário montado na Cidade de Deus, ou olhando extasiado a beleza do Rio de Janeiro –maculando tanta maravilha, nos marcando com seu poder bélico. Não gostamos Sr Obama. Não gostamos nem do seu riso irônico, nem dos seus tanques de guerra ou de sua enorme comitiv

Quarta-feira 23/03/2011 - Japão, Obama e a esperança de "echar o mundo andar"

Tudo hoje será de corre corre. As noticias não são nada felizes. Relutei em escrever sobre este assunto. Impossível o silencio. Acesso o Globo. Um dos reatores começou a soltar fumaça escura, o resfriamento é difícil, a situação no Japão preocupante. Estamos torcendo por eles. Estamos torcendo pela humanidade, penso. O poder que delegamos aos governantes virou contra todos nós. É hora de repensar a nossa irresponsabilidade, e dar um basta para “esta Humanidad ëchar andar” como dizia Che Guevara. “ Os comentários fervem entre a população sobre a visita de Mr. Obama. O carismático Presidente dos Estados Unidos - premio Nobel da Paz – desde o nosso pais ordena o ataque a Líbia, como se estive jogando bola no cenário montado na Cidade de Deus, ou olhando extasiado a beleza do Rio de Janeiro –maculando tanta maravilha, nos marcando com seu poder bélico. Não gostamos Sr Obama. Não gostamos nem do seu riso irônico, nem dos seus tanques de guerra ou de sua enorme comiti

En que lugar de la historia american esconde la libertad

En que lugar de la historia american esconde la libertad

DO POVO BRASILEIRO À BARAK OBAMA

O presidente Lula foi definitivo: quando nos dirigimos a V. Exa não parece que falamos com o representante de um poder imperial e sim com um brasileiro como qualquer um de nós. Sua eleição trouxe muita admiração e muita esperança para o povo brasileiro e para toda a América Latina. Contudo, devemos confessar-lhe que nos encontramos profundamente decepcionados.” Acreditamos nas promessas de campanha, entre elas esperávamos que seu governo trouxesse a paz e a justiça para nossa querida Ilha Cubana, que como é sabido, apesar do embargo de mais de 50 anos conseguiu ocupar um lugar de destaque no mundo com avanços significativos na área da biotecnológica, educacional e na área de saúde publica.Apesar da campanha difamatória e da propaganda violenta Cuba resiste a todas as agressões e intempéries com dignidade.Desnecessário citar a V. Exa todos os desmandos contra Cuba, sob as mais mentirosas alegações. Assim foi a Baia de Porcos, assim foi a promessa de desativar Guantánamo, assim é a pri

DO POVO BRASILEIRO À BARAK OBAMA

O presidente Lula foi definitivo: quando nos dirigimos a V. Exa não parece que falamos com o representante de um poder imperial e sim com um brasileiro como qualquer um de nós. Sua eleição trouxe muita admiração e muita esperança para o povo brasileiro e para toda a América Latina. Contudo, devemos confessar-lhe que nos encontramos profundamente decepcionados.” Acreditamos nas promessas de campanha, entre elas esperávamos que seu governo trouxesse a paz e a justiça para nossa querida Ilha Cubana, que como é sabido, apesar do embargo de mais de 50 anos conseguiu ocupar um lugar de destaque no mundo com avanços significativos na área da biotecnológica, educacional e na área de saúde publica.Apesar da campanha difamatória e da propaganda violenta Cuba resiste a todas as agressões e intempéries com dignidade.Desnecessário citar a V. Exa todos os desmandos contra Cuba, sob as mais mentirosas alegações. Assim foi a Baia de Porcos, assim foi a promessa de desativar Guantánamo, assim é a pr

Silvio rodriguez e Pablito - Rabo de nube

ola, queridos mios, Todo lo que necessito en este sábado es un Rabo de Nuben.

Silvio rodriguez e Pablito - Rabo de nube

ola, queridos mios, Todo lo que necessito en este sábado es un Rabo de Nuben.

E, são Presidentes, passistas, porta-bandeiras....

São Lauras, Marias de todas as cores, Carmens, infinidade de Rosas, Ligias, Carolinas, Saras e Dianas, Barbaras e Anas, em todos os idiomas e definições.Irmãs, amigas, companheiras, sonhadoras, práticas, frágeis, fortes, alegres, tristes, amorosas, desiludidas, amadas, amantes, políticas, poetas, da rua, dos campos, da noite, dos eternos amanheceres,dos por de sol antes e depois das tempestades, das pequenas lembranças, das grandes caricias, do riso, do pranto,... qualquer adjetivo sobrepõe estas mulheres que surgem dos mais distantes recantos do mundo, guerreiras desprendidas das estrelas cadentes e juntam dia a dia pedacinhos de sonhos e vão ao longo dos séculos construindo um mundo melhor. Assim foi desde a Grécia antiga quando Isis a deusa da magia e da fertilidade, convivia com os artesãos, poetas, escravos em grandes festas precursoras dos dias de alegria que tiveram na enseada fascinante do Atlântico chamada Rio de Janeiro, onde desde o entrudo às escolas de samba transform

E, são Presidentes, passistas, porta-bandeiras....

São Lauras, Marias de todas as cores, Carmens, infinidade de Rosas, Ligias, Carolinas, Saras e Dianas, Barbaras e Anas, em todos os idiomas e definições.Irmãs, amigas, companheiras, sonhadoras, práticas, frágeis, fortes, alegres, tristes, amorosas, desiludidas, amadas, amantes, políticas, poetas, da rua, dos campos, da noite, dos eternos amanheceres,dos por de sol antes e depois das tempestades, das pequenas lembranças, das grandes caricias, do riso, do pranto,... qualquer adjetivo sobrepõe estas mulheres que surgem dos mais distantes recantos do mundo, guerreiras desprendidas das estrelas cadentes e juntam dia a dia pedacinhos de sonhos e vão ao longo dos séculos construindo um mundo melhor. Assim foi desde a Grécia antiga quando Isis a deusa da magia e da fertilidade, convivia com os artesãos, poetas, escravos em grandes festas precursoras dos dias de alegria que tiveram na enseada fascinante do Atlântico chamada Rio de Janeiro, onde desde o entrudo às escolas de samba transfor

Tira o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor..

Distraída, consultando a agenda na busca da atração para o próximo “Seis e Meia” não ouvi os passos que se acercavam. - Ai que susto! – um toque suave, banhado de luz roçou meus cabelos -Oi menina sou eu – respondeu Nelson Cavaquinho Nelson, quantos anos! Num só abraço vivemos décadas. Naquele beijo um mar de ternura. Nos olhávamos e voltamos aos beijos e abraços. Alucinação pura. Nelson o maior dos compositores do Brasil, o dos amores perdidos, violados, das folhas mortas, das rondas noturnas à cavalo quando era da Policia Militar, das noitadas nos botecos, da branquinha gostosa como ela só, do amor pela vida, dos medos, da eterna angustia. Nelson é a cara do meu Pais. Sofre, ri, ama, passa fome,vende letras de suas canções ou para compra o cigarro ou quem sabe para pagar o trem de volta ao lar. Homem forte, todo poesia, todo saudade, todo esperança, todo paixão. Nas andanças noturnas conheceu a Mangueira – a Estação Primeira – se entregou. Quanta alegria – cantaria Zé Kéti dian

Tira o seu sorriso do caminho que eu quero passar com a minha dor..

Distraída, consultando a agenda na busca da atração para o próximo “Seis e Meia” não ouvi os passos que se acercavam. - Ai que susto! – um toque suave, banhado de luz roçou meus cabelos -Oi menina sou eu – respondeu Nelson Cavaquinho Nelson, quantos anos! Num só abraço vivemos décadas. Naquele beijo um mar de ternura. Nos olhávamos e voltamos aos beijos e abraços. Alucinação pura. Nelson o maior dos compositores do Brasil, o dos amores perdidos, violados, das folhas mortas, das rondas noturnas à cavalo quando era da Policia Militar, das noitadas nos botecos, da branquinha gostosa como ela só, do amor pela vida, dos medos, da eterna angustia. Nelson é a cara do meu Pais. Sofre, ri, ama, passa fome,vende letras de suas canções ou para compra o cigarro ou quem sabe para pagar o trem de volta ao lar. Homem forte, todo poesia, todo saudade, todo esperança, todo paixão. Nas andanças noturnas conheceu a Mangueira – a Estação Primeira – se entregou. Quanta alegria – cantaria Zé Kéti

Reencontros - Segunda Parte

Não é fácil regressar de uma longa viagem sem que tenhamos quebrado as cores que nos atava aquele verde, aquele azul. Não é fácil tentar encontrar no olhar aquele sentimento que o tempo insistiu em apagar. Não é fácil. Assim foi nosso encontro uma busca sem voz, sem sorriso, sem olhos nos olhos, sem toque nas mãos, sem aquele beijo sem graça, aquele abraço apertado – que bom que você voltou -. Virtual. Pela rede nossas lembranças rolaram soltas, link’s de músicas, alguns boleros, discussões sem sentido entre Cazuza, Melodia – que me deu um trabalho imenso quando eu era superintendente dos Projetos Especiais da Funarj do Teatro João Caetano. Dirigia quase todos os espetáculos, porque Albino Pinheiro, o querido Albino chegava já quase começado o show. Um vai e vem de mensagens, levando para lá e cá todos os meus sonhos. Descobrimos parte de nossa juventude, dos primeiros encontros a despedida brusca cruel porque a revolução era mais importante. Parti sem deixar rastro. Doeu dos do

Reencontros - Segunda Parte

Não é fácil regressar de uma longa viagem sem que tenhamos quebrado as cores que nos atava aquele verde, aquele azul. Não é fácil tentar encontrar no olhar aquele sentimento que o tempo insistiu em apagar. Não é fácil. Assim foi nosso encontro uma busca sem voz, sem sorriso, sem olhos nos olhos, sem toque nas mãos, sem aquele beijo sem graça, aquele abraço apertado – que bom que você voltou -. Virtual. Pela rede nossas lembranças rolaram soltas, link’s de músicas, alguns boleros, discussões sem sentido entre Cazuza, Melodia – que me deu um trabalho imenso quando eu era superintendente dos Projetos Especiais da Funarj do Teatro João Caetano. Dirigia quase todos os espetáculos, porque Albino Pinheiro, o querido Albino chegava já quase começado o show. Um vai e vem de mensagens, levando para lá e cá todos os meus sonhos. Descobrimos parte de nossa juventude, dos primeiros encontros a despedida brusca cruel porque a revolução era mais importante. Parti sem deixar rastro. Doeu dos

Tres estaciones - Noel Nicola

Hay un tiempo de lluvias por caer (son unos días verdes como amar) y hay unas ganas grandes de sembrar, y más ganas aún de florecer. ¡Ah, compañera, qué primavera te espera! Hay un poco de sol que ha de llegar, con su sed inmediata, con su mar, un enredo del pelo con la sal y algo que aunque caliente no hace mal en el verano, desde temprano tu mano. Cuando llovizne sobre la ciudad y un viento norte amarre su cordel, habrá que enamorarse de verdad para sacarse el frío de la piel si no, ¿qué hacernos? hay que ser tierno en invierno.

Tres estaciones - Noel Nicola

Hay un tiempo de lluvias por caer (son unos días verdes como amar) y hay unas ganas grandes de sembrar, y más ganas aún de florecer. ¡Ah, compañera, qué primavera te espera! Hay un poco de sol que ha de llegar, con su sed inmediata, con su mar, un enredo del pelo con la sal y algo que aunque caliente no hace mal en el verano, desde temprano tu mano. Cuando llovizne sobre la ciudad y un viento norte amarre su cordel, habrá que enamorarse de verdad para sacarse el frío de la piel si no, ¿qué hacernos? hay que ser tierno en invierno.

Marilia Guimarães

 

Marilia Guimarães

 

LUIZ MELODIA - ONDE ANDA VOCÊ?

LUIZ MELODIA - ONDE ANDA VOCÊ?

Mulheres - Pablo Neruda

Elas sorriem quando querem gritar. Elas cantam quando querem chorar. Elas choram quando estão felizes. E riem quando estão nervosas. Elas brigam por aquilo que acreditam. Elas levantam-se para injustiça. Elas não levam "não" como resposta quando acreditam que existe melhor solução. Elas andam sem novos sapatos para suas crianças poder tê-los. Elas vão ao medico com uma amiga assustada. Elas amam incondicionalmente. Elas choram quando suas crianças adoecem e se alegram quando suas crianças ganham prêmios. Elas ficam contentes quando ouvem sobre um aniversario ou um novo casamento.

Mulheres - Pablo Neruda

Elas sorriem quando querem gritar. Elas cantam quando querem chorar. Elas choram quando estão felizes. E riem quando estão nervosas. Elas brigam por aquilo que acreditam. Elas levantam-se para injustiça. Elas não levam "não" como resposta quando acreditam que existe melhor solução. Elas andam sem novos sapatos para suas crianças poder tê-los. Elas vão ao medico com uma amiga assustada. Elas amam incondicionalmente. Elas choram quando suas crianças adoecem e se alegram quando suas crianças ganham prêmios. Elas ficam contentes quando ouvem sobre um aniversario ou um novo casamento.

Que vergonha Emir Sader !

Saber estar no poder é para poucos. A maioria não consegue um equilíbrio entre representar um povo no Legislativo, Executivo e contracenar com seu próprio ego. Ainda estamos há noventa dias de um novo Governo presidido pela primeira vez por uma mulher – e como se fosse pouco ex-guerrilheira, forte, e comprometida com as reformas sociais no Brasil, e os incautos, inexperientes, na contra mão da história insistem em atropelar a continuidade de uma proposta tão eficaz para nosso País. Falta de maturidade? Não creio. Todos já passam dos 60 – embora não exista relação entre idade e maturidade política e psicológica. Que o diga os nossos jovens ocupando cargos de suma responsabilidade em contra – partida com a velha guarda do poder público. Numa entrevista á Folha de São Paulo, espontaneamente, Emir Sader ofende a milhares de família no Brasil e no mundo ao se referir a Ministra Ana de Hollanda – por ser cautelosa, não deslumbrada – como meio autista. Desconhece o Sr. Emir os sintomas qu

Que vergonha Emir Sader !

Saber estar no poder é para poucos. A maioria não consegue um equilíbrio entre representar um povo no Legislativo, Executivo e contracenar com seu próprio ego. Ainda estamos há noventa dias de um novo Governo presidido pela primeira vez por uma mulher – e como se fosse pouco ex-guerrilheira, forte, e comprometida com as reformas sociais no Brasil, e os incautos, inexperientes, na contra mão da história insistem em atropelar a continuidade de uma proposta tão eficaz para nosso País. Falta de maturidade? Não creio. Todos já passam dos 60 – embora não exista relação entre idade e maturidade política e psicológica. Que o diga os nossos jovens ocupando cargos de suma responsabilidade em contra – partida com a velha guarda do poder público. Numa entrevista á Folha de São Paulo, espontaneamente, Emir Sader ofende a milhares de família no Brasil e no mundo ao se referir a Ministra Ana de Hollanda – por ser cautelosa, não deslumbrada – como meio autista. Desconhece o Sr. Emir os sintomas

Carlos Takeshi e Marcello Guimaraes + Visual Kit5

E preciso acabar com a Pirataria. QAuem vai se habilitar. O visual Kit5 gera empregos, mudou a cara do Brasil neste anos de mercado.

Carlos Takeshi e Marcello Guimaraes + Visual Kit5

E preciso acabar com a Pirataria. QAuem vai se habilitar. O visual Kit5 gera empregos, mudou a cara do Brasil neste anos de mercado.

Na medicina e no amor, nem sempre, nem nunca

- Olha uma nimbos enorme!. Vai chover tudo. Sem sombra de duvida, teremos um carnaval quente , banhado de estrelas tanto no céu quanto na passarela – comentou o taxista. Carnaval este ano cheio de problemas. Na Cidade do samba, União da ilha virou uma labareda negra, se alastrou para minha querida Portela , alcançou a Grande Rio transformando em cinzas o sonho de um ano de trabalho intenso, dedicação, entrega total como suele ser tantos carnavais, por uma hora e vinte minutos de felicidade. Nem mais, nem menos. Pior é a vida resmungou o chofer. Porquê? Estava apaixonado moça. Sabia de tudo. Casada décadas, filhos, uma vida estável, mas como o destino prega peças todos os dias nas horas vagas, eis que entra no carro um velho e grande amor. Nem posso descrever aquele azul – como cantou Paulinho da Viola -.Fiz de um tudo. Passei a viver a euforia de um adolescente. Esqueci o lá fora. Pregado no computador esperava ansioso viver aquele lembrança. Doce, terna, mal resolvida cla

Na medicina e no amor, nem sempre, nem nunca

- Olha uma nimbos enorme!. Vai chover tudo. Sem sombra de duvida, teremos um carnaval quente , banhado de estrelas tanto no céu quanto na passarela – comentou o taxista. Carnaval este ano cheio de problemas. Na Cidade do samba, União da ilha virou uma labareda negra, se alastrou para minha querida Portela , alcançou a Grande Rio transformando em cinzas o sonho de um ano de trabalho intenso, dedicação, entrega total como suele ser tantos carnavais, por uma hora e vinte minutos de felicidade. Nem mais, nem menos. Pior é a vida resmungou o chofer. Porquê? Estava apaixonado moça. Sabia de tudo. Casada décadas, filhos, uma vida estável, mas como o destino prega peças todos os dias nas horas vagas, eis que entra no carro um velho e grande amor. Nem posso descrever aquele azul – como cantou Paulinho da Viola -.Fiz de um tudo. Passei a viver a euforia de um adolescente. Esqueci o lá fora. Pregado no computador esperava ansioso viver aquele lembrança. Doce, terna, mal resolvida c